domingo, 15 de julho de 2012

Pelo elevador de serviço, por favor! Não...

É comum uma equipe de tv ser tratada como prestadora de serviço. Não muito raro, recepcionistas, porteiros e seguranças já ficam "atentos" quando a gente chega em prédios, condomínios ou empresas. Seguranças já nos abordam na entrada. Pois não?
Certa vez num condomínio de luxo, o porteiro queria que a equipe parasse na portaria de serviços e se identificasse (todos deveriam apresentar documento). Me neguei e respondi: o morador já não autorizou nossa entrada? Então, eu vim para uma visita, não para trabalhar. Ele achou melhor liberar a entrada.
Em outro prédio, a recepcionista insistia que deveríamos subir pelo elevador de serviço. Quando cheguei, só tinha lixo hospitalar, já que era um prédio de clínicas médicas. Nem perdi meu tempo, voltei para o elevador social e subimos por ali mesmo! Em condomínios residenciais, isso de qualquer classe social, também é comum o porteiro indicar apenas o elevador de serviço. Geralmente, ignoro.
Mas a pior situação foi numa clínica médica. Reportagens de jornalismo não carregam equipamentos pesados. Câmera, luz e microfone vão na mão. A recepcionista nos colocou na micro cozinha da clínica. Sim, ela tomou esta decisão, não queria que a equipe ficasse ali com todos "aqueles equipamentos" na recepção com os pacientes. Ficamos na apertada cozinha por cerca de meia hora até a entrevistada chegar. Na espera, devoramos todas as bolachas...rs.
A médica chegou, ficou sem graça quando descobriu onde estávamos alojados. Fiz a entrevista tranquilamente e no final, dei a bronca, sem dó. Se aceitou dar entrevista, que respeitasse minha equipe. Sou jornalista, não estou prestando favores.
Na redação, avisei a pauta: pode riscar essa clínica da agenda.


3 comentários:

Anônimo disse...

Rê, excelente texto e ótimo posicionamento... É isso mesmo! Precisamos de profissionais que se imponham em nome da categoria. Eu sempre agi assim, respeitando e exigindo respeito...
Beijão
Fábio Salgueiro

Renata Afonso disse...

Eu sempre digo que cada um tem o tratamento que permite.

João Paulo Souvera disse...

Muito bem. Hoje mesmo uma grande mineradora ligou na redação pedindo que fizessemos qualquer reportagem por lá. Engraçado que quando ligamos e perguntamos se tem algo bacana ou quando precisamos gravar com algum especialista no local, eles barram na hora. Acredito que nós precisamos nos unir e parar com esta bobagem de cada um cuidar do seu. Classe unida é respeitada. Parabéns.